Arquivo do blog

Facebook - Blog

Facebook - Agência

Twitter

@ZipaoAventura 2013. Tecnologia do Blogger.

Marcadores

América do Sul (3) Argentina (2) Cachoeira (7) Camping (3) Camping Selvagem (4) Catarata (2) caverna (2) cidades (18) Dica (8) esporte de aventura (3) Feriado (7) Férias (12) festas (6) hostel (2) interior (7) MG (5) montanha (6) Paraguai (1) Paranapiacaba (3) Parque (11) PR (5) Praia (4) rafting (1) Rapel (2) rio (1) RJ (7) RMSP (9) RS (5) serra (7) SP (20) Top10 (2) Travessia (2) trilha (14) Trilha noturna (4) urbano (6) Usina (1) Viagem (10)

Seguidores

PE Cantareira - Núcleo Pedra Grande


Olá, como vai? (2x) Eu vou bem! (2x) e você vai bem também! Legal! (7x)

Isso aí em cima é só uma musiquinha de quebra-gelo pra se fazer em uma viagem, mas porque que eu coloquei ela no início deste post? Calma pessoal, foi porque neste dia eu tive duas oportunidades: conhecer um lugar tão perto do centro de São Paulo e de conhecer muita gente nova!
"Por que ir até o Parque da Cantareira se tem o Pico do Jaraguá?" Foi isso que eu perguntei quando me convidaram pra esse passeio mas foi procurando saber um pouco do lugar é que me deu cada vez mais vontade de ir até lá. Aos interessados na história do lugar, procure o site do parque pra entender a importância. Mas vou contar bem por cima um pouco do lugar.

A serra da Cantareira se localiza entre 4 municípios (Caieiras, Mairiporã, Guarulhos e São Paulo) e tem grande importância histórica e geográfica para a sua proteção o que levou a criação do parque. Entre os motivos podemos destacar a proteção dos mananciais, já que em Mairiporã fica o reservatório Paiva Castro e esta é a última barragem do Sistema Cantareira que abastece grande parte da região com água potável e também protege um dos primeiros reservatórios de abastecimento da região da Avenida Paulista, mas esta é uma outra história.

Foca na Pedra Grande! Uma das coisas que mais me chamou a atenção deste lugar foi a possibilidade de ter uma outra visão da cidade de São Paulo e justamente o que aconteceu.

Como chegar até o parque? Simples! Procure nos metrôs Santana ou Tucuruvi um ônibus que vai para o Horto Florestal da cidade de São Paulo. Chegando lá, suba a rua à direita até o final e pronto! Você já está na portaria do núcleo onde você deve pagar a entrada. E esperamos o restante do pessoal chegar. Galera reunida hora de começar a subir, mas antes, uma foto oficial do grupo.

DICA: não se esqueça de levar água, lanche e protetor solar. Só existe ponto de venda na portaria. E a subida é bem longa para tentar fazer sem nada, afinal, 3h de subida cansa qualquer um!

Pra chegar até lá, vamos pela única alternativa disponível de subida que é a estrada de serviço do parque. Devido sua constância é comum ver pessoas treinando para caminhadas de longa distância, travessias e até montanhistas iniciantes para o preparo físico de encarnar grandes distâncias com peso nas costas. Não era essa nossa intensão logo uma mochila leve com água e alimentação já virou o suficiente para nós.

Subindo e subindo temos um bom tempo pra colocar a conversa em dia, fazer novas amizades, tudo sem pressa nenhuma já que estamos ali pra aproveitar o visual, tirar muitas fotos e contar histórias de trilhas e aventuras passadas. Se você conseguir um tempo faça também as outras trilhas do parque, vale muito a pena.

Uma longa subida depois, chegamos até o mirante da Pedra Grande. De lá tem uma vista incrível da cidade de São Paulo. S você tiver uma boa localização vai achar fácil o Centro, Barra Funda, Brás,  entre outros bairros próximos. Aproveitamos que estava uma bela manhã de sol e tiramos muitas fotos com aquela paisagem ao fundo e aproveitamos também para fazer o lanche e descansar um pouco. Não podemos esquecer que lá em cima tem também o museu da Pedra Grande. Eu particularmente não entrei, mas fiquei com vontade.

Depois de descansar as pernas hora de continuar a caminhada até o lago. E aproveitamos o caminho pra tirar muitas fotos. Um ponto legal que se passa é a divisa entre São Paulo e Mairiporã o que sem dúvida vai deixar algumas lembranças divertidas!

O lago é bem legal, mas o que fez mais sucesso são os brinquedos de madeira e pneu que tem por lá. Não tem como não se tornar criança novamente com isso a disposição. Como não tinha menores por lá a festa foi toda nossa! Todos do nosso grupo se entregaram para brincar e tirar fotos, seja no balanço, gangorra, escorregador, etc.

Passado o momento nostalgia, hora de voltar pra casa! O caminho é o mesmo que fizemos e como já estávamos cansados nem paramos muito pra tirar foto. Foi bem direto o retorno mas não podemos esquecer de algo muito útil depois de fazer esse caminho: carimbar o passaporte do Trilhas de São Paulo.

Tentei ser o mais breve possível com esse post, já que não quero cansar tanto vocês.

Espero que tenham gostado!

Até o próximo post! (Só não sei onde vai ser)